No brinquedo novo

Mobilidade é tudo de bom mesmo… Eu não ia ter feito a metade das coisas que eu fiz hoje se estivesse naqueles laboratórios barulhentos da graduação. Fiquei quietinha aqui na biblioteca de física e estudei sobre o que vou apresentar no meu POC, preenchi uma papelada da pós e recebi um e-mail bem animador da minha orientadora 🙂 Eu tava meio com medo desse meu POC na verdade… de ficar simples demais, ou complicado demais… sei lá. Mas eu não tinha parado pra ler nada a respeito do protocolo ainda. Hoje resolvi fazer isso e foi melhor do que eu imaginava… acabei entendendo algumas coisas, apesar de não fazer idéia de como explicar isso em 8 minutos.
Vamos ver se eu consigo explicar agora o que eu vou fazer:

Eu estudei as lógicas certo?* E vi a provabilidade delas e as propriedades de cada uma e como uma estende as outras. Agora, a gente pode usar esse artefato para provar a corretude de sistemas. Mas como? Essa era minha pergunta até hoje. Vamos pegar um protocolo de autenticação que foi o que estudei. Suponha que A queira comunicar-se com B. Temos como predicados as ações de envio e recebimento de mensagens, geração de nonces e uma combinação destes que afirma se a entidade é quem inicia a comunicação ou se é quem responde (isso são dois predicados separados, lógico). Então as minhas premissas são as mensagens que B enviou e recebeu e os nonces gerados e o fato de que B é quem responde e A é quem inicia a comunicação. A partir disso, temos que ser capazes de derivar toda a sequencia de trocas das mensagens na ordem correta (ainda não entendi muito bem como se coloca na lógica essa restrição da ordem das fórmulas). O mais mais mais legal é que, quando não conseguimos chegar numa prova, conseguimos ver qual é a vulnerabilidade do protocolo e de que modo pode ser feito um ataque! Incrível hehe

Quando eu estiver entendendo isso direitinho meeesmo, vou escrever um documento explicando (que na verdade deveria ser meu POC… mas eu não sei qual o deadline da documentação ainda).

*A única coisa que eu não consegui me acostumar ainda foi esse ponto de interrogação esquisito junto com a letra ‘w’.

É Proibido (Pablo Neruda)

É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.

É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo.

Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor.
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos.

Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas.
Fingir que elas não te importam.

Ser gentiil só para que lembrem de você.
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo.
Não crer em Deus e fazer seu destino.

Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar.

Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se desencontraram.
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas.
Pensar que a vida delas vale mais do que a sua.

Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história.
Deixar de dar graças a Deus pela sua vida.

Não tem um momento para que necessita de você.
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade.

Não viver sua vida com uma atitude positiva.
Não pensar que podemos ser melhores.
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

Musicovery

A música que a gente quer escutar sempre depende muito do nossa estado de espírito, não é? Bom, então nada mais fácil do que escolher a sua trilha sonora baseando no que vc sente, e não escolher a música (já que essa correspondência nem sempre é imediata na nossa cabeça). Nesse site aqui vc pode fazer isso, e funciona! A idéia é bem diferente do last.fm ou do pandora, e eu achei bem melhor (apesar de que no last.fm tem a vantagem de existir páginas de artistas e vc pode descobrir mais informações de bandas novas)… esse esquema de ficar escutando músicas com as mesmas tags acaba repetindo artista demais ou depois de um tempo parece que o estilo mudou completamente… Uma coisa estranha… eu ainda não sei se o problema é do algoritmo ou do meu ouvido. Mas no Musicovery isso não acontece, deve ser um algoritmo diferente de classificação (muito mais legal XD). Depois eu tenho que ler um pouco mais sobre esse esquema e descobrir o que eles usam pra analisar os ritmos.

(Eu tenho que ler… tenho que ler… tantas coisas, tão pouco tempo)

Probleminhas

http://en.wikipedia.org/wiki/Two_envelopes_problem
Tava lendo ele agora e achei interessante… é engraçado pq as duas primeiras soluções que ele dá parecem corretas, e eu detesto qndo isso acontece pq as coisas TEM q ser exatas hehehe Não, brincadeira. Na verdade eu fico intrigada com algumas soluções desse tipo de problema, em que as duas coisas estão certas. Eu fico tentando encontrar o erro de uma delas, pq na minha cabeça alguma tem q estar errada. Mas talvez não né? Esse problema me lembrou aquele das portas. Existem 3 portas e por trás de uma delas tem um prêmio. Vc escolhe uma e depois o carinha que sabe onde está o prêmio elimina uma porta (que não tem o prêmio) e pergunta se vc quer trocar a sua. Probabilisticamente, é vantajoso trocar de porta. Só que nesse caso dos envelopes só tem dois, então nada é eliminado, vc tem que só decidir se troca ou não.

Nas duas soluções apresentadas na Wikipedia ele faz uma conta do “valor esperado” no outro envelope. Eu achei essas contas estranhas, mas eu não sei muito de probabilidade, então vai ver que tem q fazer isso mesmo.

A primeira solução é a seguinte: suponha que o envelope que vc escolheu tenha A “dinheiros”, então o outro envelope tem probabilidade 1/2 de ter 2A e 1/2 de ter A/2, logo:
1/2*2A + 1/2*A/2 = 5/4*A
Parece certo, certo? Errado. Aí vc troca, pensa do mesmo jeito e troca de novo e fica trocando de envelope pra sempre e nunca recebe o dinheiro.

A segunda solução argumenta que o erro dessa aí de cima é que A, na equação, não é constante. Ou seja, no primeiro termo ela representa o menor valor dos envelopes, e no segundo termo o maior. Parece sensato, aí vc faz o seguinte: seja B o valor do menor envelope. Para os dois envelopes teremos:
1/2*C + 1/2*2C = 3/2*C
que na verdade é a média do valor esperado. Que, na verdade, pra mim não diz absolutamente nada. Aliás, me diz que tanto faz vc trocar ou não… vc tem a mesma chance de perder e ganhar.

A segunda solução parece correta, mas (tem que ter um mas…) se vc sabe qual o valor que tem no envelope escolhido da primeira vez, ‘A’ naquela primeira equação passa a ser constante. Então a gente conclui que é vantajoso trocar. Mas pensa assim: se duas pessoas estão jogando e cada uma pegar um envelope, as duas vão querer trocar achando que é melhor pra elas. E isso é contraditório. Tudo fica ainda mais complicado quando a distribuição de probabilidade dos valores que podem estar em um envelope não é uniforme. Aí virou bagunça, e eu vo ter q estudar probabilidade um pouco mais pra entender esse resto.

Eu encontrei ese problema qndo tava lendo esse post do xkcd: http://blag.xkcd.com/2008/09/09/the-goddamn-airplane-on-the-goddamn-treadmill/
O problema também é bastante interessante, e envolve umas coisas de física. Eu vo ver se dou uma revisada em movimento circular pra decidir se o avião decola ou não. E essa eu não aceito as duas respostas não porque se a gente tiver muito dinheiro e tempo sobrando dá pra fazer esse experimento e ver o que acontece. Mas o legal mesmo é deduzir pela teoria (que deveria ser consistente).

Novidades

E olha só, não é que eu to me acostumando com Hurtmold? Não sei se as músicas que eles tocaram no show eram muito diferentes das do myspace ou fui eu que acostumei com o estilo. Música instrumental assim é boa, não tem letra, não desconcentra e o som flui.

Bom, hoje vi um vídeo muito legal e acho que vale a pena colocar aqui pra eu não esquecer dele (apesar de estar nos meus favoritos, eu perco meus favoritos com frequência).
http://vimeo.com/1562621?pg=embed&sec=1562621
São 15 minutos de imagens incríveis, a trilha sonora também é boa. A qualidade está ótima e a velocidade também, ele não atrasou nenhuma vez, pelo menos aqui. Foi feito pra um festival francês (Grandeur Nature) que acontece desde 2005. A idéia é ‘un autre regard sur la nature’, um outro olhar sobre a natureza, e não são só filmes. Tem fotos, artes plásticas e, aparentemente, algumas oficinas. Os filmes são exibidos ao ar livre 🙂
As imagens que eu mais gostei foram as do céu à noite… as estrelas são fantásticas! Pena que da cidade não dá pra ver quase nada… Tem um trecho também que mostra uma tempestade, com raios e tudo mais, que é excelente. Assista com calma 🙂

Mark Ronson

CD: Mark Ronson Version

Mark Ronson é um DJ britânico criado em NY (quer coisa melhor?? :P). Esse CD é do ano passado e só descobri agora, e descobri muita coisa boa que já tinha escutado uma vez ou outra na oiFM. Ele convida artistas pra regravar músicas e faz versões novas delas. Mas são boas versões! Nada muito repetitivo ou batido, ou nada que tocaria em uma rave… Algumas me lembraram músicas antigas dançantes.
Tem uma música com a Amy Winehouse que ficou até famosinha (http://br.youtube.com/watch?v=bAIxs6zOkVI). Acho que coloquei a versão original dela em algum post anterior (The Zutons). Então, tem Amy Winehouse cantando The Zutons, Lily Allen cantando Kaiser Chiefs, uma boa versao de Just do Radiohead e Robbie Williams. Enfim, é diferente de muitos DJ’s que a gente ve por ai.

Match

Então, o Brasil foi o vencedor do primeiro festival internacional de teatro de improvisação. Ganhou de virada do Chile. Eles deviam fazer esse festival todo ano, e eu espero que ainda tenha Match esse ano.
Aí eu fiquei curiosa e fui procurar de onde esse povo veio né. Parece que tem uma galera que é da escola de Belas Artes da federal. A Mariana Muniz, organizadora, é professora lá e terminou sua tese de doutorado agora sobre improvisação teatral. Além disso ela é orientadora de algumas pessoas que participam do Match. Parece que estudou na Espanha tb. Quem disse que esse povo não rala né…
No pain, no gain.

Festival de Improvisação Teatral

http://www.fimprobh.com/

Teatro de improvisação é muito melhor do que teatro normal… E os atores tb tem q ser mto melhores. Eu gostava muito de ir no Match, e agora q tá tendo esse festival a gente resolveu ver um espetáculo diferente do pessoal da Liga de Improvisação. Era de um grupo Mexicano.
Bom, posso dizer que definitivamente eles tem um senso de humor bastante esquisito… Todo mundo ficou meio perdido, sem saber se era pra rir, além de não entender metade das coisas que eles falavam em espanhol… O nome era “Humor Mierda”, mas tava mais pra humor negro, sem o humor. Umas histórias esquisitas, que eu entendi pela metade. Muito muito estranho mesmo, eu não consigo nem explicar.
Enfim, essa sexta a gente quer voltar lá pra ver uma partida de Match mesmo… com os nossos velhos conhecidos da Liga =P  E ver se superamos o trauma de domingo.